Super Team

O Karate Tradicional
Escrito por Administrator
Ter, 05 de Abril de 2011 19:46
PDF Imprimir E-mail

História e Definição do Karatê Tradicional


O Karatê moderno tem suas origens em mosteiros da China e Índia. Ele chegou ao Japão através desses monges e foi moldado à cultura local. Gichin Funakoshi era um dos praticantes do então Okinawa-te (como era chamado o Karatê na época). Funakoshi adicionou a essa prática o código de honra dos samurais (Budô), tornando-a uma arte marcial e mudando o nome para Karatê.

Gichin Funakoshi

Em 1921, Funakoshi aceitou demonstrar a prática em Tóquio, a convite da Família Real Japonesa, na Exibição Atlética Nacional. A partir de então, o Karatê passou a ser difundido no Japão e, após a Segunda Guerra Mundial, para o mundo. Sempre com a finalidade de moldar o caráter de seu praticante e forma de defesa pessoal.

 

 

Esta arte marcial faz uso de chutes, socos, joelhadas, cotoveladas e golpes com a palma da mão aberta. Mas, mais do que isso, o Karatê é uma forma de caminho marcial (ou Budô) que visa não só o fortalecimento do corpo mas, sobretudo, da mente de seu praticante. O verdadeiro karateca sabe que é uma prática para o resto da vida. Uma das frases de Funakoshi que sintetizava essa ideia era: “Estudar e aperfeiçoar-se, sempre”.

O treino de Karatê pode ser dividido em três partes principais: Kihon, Kata e Kumite.


 

• O Kihon (fundamentos, em japonês) é a prática das técnicas básicas. É nessa hora que o karateca deve fazer correções da sua base, e melhorar sua técnica, força e velocidade.


 

 

• Os Katas (forma) são sequências pré-determinadas de movimentos. Cada Kata reúne técnicas básicas e, alguns deles, avançadas de defesas e ataques contra múltiplos adversários imaginários. Sua execução requer, principalmente, vigor nos movimentos, concentração, postura, respiração apropriada e compreensão dos movimentos executados (aplicação da técnica).


 
• Já o Kumite (encontro de mãos, ou combate) é a luta propriamente dita. Ao contrário do Kihon e do Kata, que são praticados individualmente, no Kumite treina-se com um companheiro. Para que o praticante possa se desenvolver na luta, os companheiros devem criar uma certa dificuldade para o outro no momento do Kumite, observando sempre a graduação (estágio de aprendizado).


 


O Karatê e o Karatê Tradicional


O Karatê tem suas raízes na "Tode" - um sistema de autodefesa sem armas desenvolvido em Okinawa, influenciado pelas artes marciais chinesas, que tem mais de dois mil anos de história. No Japão, foi estabelecido como parte do sistema "Budo" (artes marciais japonesas); o "Karatê Tradicional", portanto, é um termo geral para o Karatê que segue os princípios de Budo.


 

 

Após a Segunda Guerra Mundial, o valor do Karatê para a defesa pessoal, o condicionamento físico, a competição e o desenvolvimento físico e mental em geral passou a ser cada vez mais reconhecido. No entanto, como arte marcial, exigiu estudos longos, repetidos e cuidadosos. A prática do Karatê logo resultou em um "boom" de popularidade. Os requisitos de longos, repetidos e cuidadosos estudos foram substituídos pelas exigências do mundo de hoje, para resultados e desenvolvimento mais rápidos. Com isso, surgiram muitos esportes novos intitulando-se Karatê. Para evitar confusão com esses novos esportes, o público começou a distinguir o Karatê original como "Karatê Tradicional".


 

O órgão internacional que representa o Karatê Tradicional é a Federação Internacional de Karatê Tradicional (ITKF). Ele é composto pela federação nacional de Karatê Tradicional de cada país membro. Cada integrante da federação nacional é um órgão de Karatê Tradicional em seu respectivo país. Em todo o mundo, os membros da ITKF praticam muitos "estilos" diferentes de Karatê (como Shotokan e Goju-ryu, por exemplo). Esses "estilos" são comparáveis a escolas ou academias, e têm seus próprios sistemas de treinamento exclusivos, desenvolvidos por mestres de Karatê durante muitos séculos. No entanto, mesmo sob o mesmo estilo, grupos afiliados à ITKF seguem o Karatê Budo, enquanto outros não pertencentes à prática da ITKF - é o caso do chamado "Karatê esportivo", que é composto apenas por jogos de socos e chutes, sem princípios do Budo.

 

 


• Objetivos e Valores

 

 

O objetivo do Karatê Tradicional é desenvolver mente e corpo em estado de equilíbrio, através da formação em técnicas de combate. O Karatê Tradicional também compartilha com o objetivo último do Budo, que é cultivar o grande caráter humano de classe superior que impede que qualquer ataque violento ocorra antes de uma luta real.

 

 

 

O Budo se origina na prática da luta física; porém, tem um efeito significativo no desenvolvimento espiritual e físico de um ser humano já que a filosofia e ética Budo são requisitos absolutos para o estudo de técnicas e aperfeiçoamento das habilidades. Elementos como etiqueta e maneiras não foram adaptadas a partir de elementos externos, nem são independentes do treinamento físico, mas existiam dentro do sistema desde a origem do Budo, e foram integrados para o aprimoramento técnico.


 


Seriedade:

 

A formação Budo deve ser executada com seriedade, porque suas técnicas são derivadas de situações graves de vida ou morte, onde é preciso vencer a luta para sobreviver.
É por isso que os praticantes de Budo são obrigados a ter uma atitude mental séria. Somente em tal condição pode alguém alcançar níveis extremos de mente e corpo muito além dos níveis normais. Isso é evidente em competições. Por exemplo, uma luta de Kumite (sparring) é realizada no formato de Ippon-shobu (um "golpe final" perfeito que determina o vencedor).
Como somente uma técnica definitiva pode concluir uma luta, os concorrentes são levados a aprender a importância de uma atitude séria.


 


Humildade:

 

Para atingir um nível superior, o Budo exige que um profissional mantenha comportamento e mente em estado de humildade. Isso permite que sempre se aprenda alguma coisa com alguém. Uma vez que se pense que ele ou ela é melhor  que os outros, a possibilidade de melhoria cessa. Esta é a base da elevada importância de respeitar os instrutores, bem como os parceiros de treinamento no Budo.


 


Calma e Disciplina:

 

Como já foram mencionadas, as técnicas originais de Budo foram projetadas para a situação crítica em que um pode ou não sobreviver. Sob tais condições, é difícil para qualquer um manter uma mente calma; a capacidade de julgamento claro ou reflexo físico diminui, e, muitas vezes, o praticante pode se encontrar imobilizado devido ao nervosismo. Portanto, manter a mente calma é uma preocupação crucial na prática do Budo, e é por isso que o treino começa e termina com um período de meditação. Além disso, o treino disciplinado e rigoroso de Budo faz com que o praticante seja confiante de suas técnicas e ganhe estabilidade mental. De acordo com uma pesquisa recente feita por psicólogos do esporte, este método é reconhecido como o mais eficaz para evitar a flutuação mental.


 


Habilidade:

 

No Budo, a técnica e força adequadas são geradas pela habilidade, ao invés de confiar apenas na força muscular. As técnicas são executadas a partir do centro do corpo para que ele possa utilizar um reflexo rápido e eficiente do corpo inteiro. Da mesma forma, o Karatê Tradicional requer uma ação integrada física controlada pelo centro do corpo, a partir dos pés no chão. A boa formação desenvolve um corpo com cada parte movendo-se em sequência adequada, sem movimentos desnecessários, e, como resultado, permite construir um corpo bem equilibrado.


Reconhecendo os valores acima descritos, é fácil ver por que o treinamento físico e mental tornou-se a base para o conceito de Budo e Karatê Tradicional, exigindo uma busca ilimitada de desenvolvimento humano total.

 

 


Competição

 

"Uma competição de Karate realizada sob as regras da ITKF deve estar em conformidade com a definição de Karate. Todas as regras estabelecidas pela ITKF devem ser sempre consideradas do ponto de vista de ajudar e motivar os participantes para a perfeição do caráter humano através da procura física e mental ilimitada."


 


Karatê Tradicional X Esportes em Geral

Em um esporte competitivo, em geral as regras de competição definem o esporte em si. Por exemplo, o futebol é definido em como uma partida deve ser jogada pelas "regras do futebol". Em contrapartida, as regras de competição do Karatê Tradicional não definem o que é Karatê Tradicional. A competição de Budo tem suas raízes em um método de prática, chamado de "Shiai", no qual os profissionais tentam testar suas técnicas e as habilidades de cada um. As regras de competição da ITKF foram compiladas com base nesta filosofia "Shiai": para os atletas melhorarem suas habilidades mentais e técnicas.


 

 


Karatê Tradicional X Esportes tipo Karatê

 

A diferença mais visível e atraente entre o Karatê Tradicional e outros esportes tipo Karatê é que as regras de competição do Karatê Tradicional  exigem especificamente que cada técnica tenha força máxima suficiente, resultando em um "golpe final". Estes outros esportes não têm regras de competição que igualem tal exigência em cada uma de suas técnicas. Devido a esta distinção muito importante, os métodos de treinamento e biomecânica do Karatê Tradicional, portanto, são muito diferentes desses outros esportes.

Última atualização em Qua, 17 de Agosto de 2011 00:23